O que é Wireless? Redes sem Fio – Origem

Wireless também como Wi-Fi (Wireless Fidelity), provém do inglês: Wire (fio, cabo); Less (sem); ou seja: sem fios.

Rede sem fio ou wireless, como é conhecida mundialmente, caracteriza qualquer tipo de conexão para transmissão de informação sem a utilização de fios ou cabos. Assim como Bluetooth e Raios Infravermelhos que permite a ligação entre dispositivos de comunicação de curto alcance também são assim considerados por serem tecnologias que não utilizam fios ou cabos para conexão entre os dispositivos.

Quase na mesma época em que surgiram os notebooks, no Brasil, em 1988, muitas pessoas sonhavam com o dia em que entrariam em um escritório e magicamente seu notebook se conectaria à Internet. Em conseqüência disso, diversos grupos começaram a trabalhar para descobrir maneiras de alcançar esse objetivo. A abordagem mais prática foi em equipar o escritório e os notebooks com transmissores e receptores de rádio de ondas curtas para permitir a comunicação entre eles. Esse trabalho levou rapidamente à comercialização de redes locais conhecidas como LANs (Local Área Network) sem fio por várias empresas.

O problema era encontrar dois dispositivos de diferentes fabricações que fossem compatíveis entre si. Essa proliferação de padrões significava que um computador equipado com um rádio de marca X não funcionaria em uma sala equipada com uma estação-base da marca Y. Finalmente, a indústria decidiu que um padrão de LAN sem fio poderia ser uma boa idéia, e assim o comitê do IEEE (Institute of Eletrical and Eletronics Engineers), que padronizou as LANs com fio recebeu a tarefa de elaborar um padrão de LANs sem fio. O padrão recebeu o nome 802.11. Esse padrão veio de outros padrões de LANs que tinham números como 802.1, 802.2, 802.3, etc..

Na época em que o processo de padronização começou (década de 1990), a Ethernet dominava o mercado de redes locais. O comitê então decidiu tornar o padrão 802.11 compatível com a Ethernet. Mas existiam diversas diferenças em relação à Ethernet na camada física e na camada de enlace de dados, e essas diferenças tinham de ser tratadas pelo padrão 802.11.

Após alguns trabalhos, o comitê apresentou um padrão em 1997 que tratou dessas e de outras questões. Esta rede sem fio funcionava a 1Mbps ou 2Mbps, mas não era aceito devido ser muito lenta, o que veio a iniciar o trabalho em padrões mais rápidos. Uma divisão se desenvolveu dentro do comitê, resultando em dois novos padrões (ou sub-padrões) publicados em 1999. O padrão 802.11a que utilizava da mesma faixa de freqüências que o 802.11, mas que possuía uma técnica de modulação diferente para alcançar 11Mbps. Em seguida o comitê apresentou outro padrão, o 802.11g, que utilizava a técnica de modulação do padrão 802.11a, mas com a faixa de freqüência do padrão 802.11b.

Hoje essa tecnologia de conectividade sem fio tornou-se mais popular desde sua invenção pelo comitê IEEE. Comparado às antigas redes a cabos, as redes sem fio vem mostrando o seu crescimento de forma surpreendente, principalmente na criação de aplicativos que viabiliza a transferência de informações tanto para fins comerciais como para uso pessoal

Artigos Relacionados:

Um Comentário - Deixe o Seu!

  1. José Amarildo disse:

    Muito bom gente.
    Eu agradeço muito pelo post. Me ajudou em um trabalho sobre redes sem fio!!!:D

Deixe o seu comentário